Proteção patrimonial: como investir para se proteger de imprevistos

A proteção patrimonial busca assegurar um futuro tranquilo e renda para lidar com imprevistos. Entenda como realizar esse tipo de investimento!

Nord Research 08/12/2023 14:22 11 min Atualizado em: 04/01/2024 11:35
Proteção patrimonial: como investir para se proteger de imprevistos

Proteção patrimonial consiste em reduzir os riscos relacionados aos bens e direitos individuais e familiares. Situações como crises econômicas, perda de renda e responsabilidades decorrentes de atividades empresariais são exemplos desses desafios.

Investir representa um passo importante na proteção patrimonial. Aplicações financeiras, dentro de uma estratégia diversificada e apropriada, minimizam riscos e proporcionam resiliência em períodos de crise.

Hoje, as aposentadorias públicas já não asseguram capacidade de pagamento no futuro. A constante ameaça da inflação compromete o poder de compra da moeda. Ademais, imprevistos e desafios da vida podem afetar negativamente nossos entes queridos.

Compreenda como investir com o objetivo de resguardar seu patrimônio, garantindo maior segurança para o seu futuro e o de seus familiares!

Sumário

  • O que é proteção patrimonial?
  • Importância da proteção patrimonial
  • Como proteger seu patrimônio com investimentos?
  • Riscos de não proteger seu patrimônio
  • Conheça o Nord Wealth

O que é proteção patrimonial?

Proteção patrimonial é o conjunto de medidas que visam mitigar os riscos aos bens e direitos econômicos das pessoas. Esse processo pode ser implementado tanto por meio de medidas jurídicas quanto por meio de investimentos estratégicos.

As medidas jurídicas estabelecem obstáculos ao uso dos recursos para quitar obrigações contraídas, reduzir custos e facilitar a sucessão patrimonial. Essa abordagem é adotada, por exemplo, por aqueles que se envolvem em empreendimentos de alto risco, buscando preservar os recursos não vinculados ao negócio.

Por outro lado, os investimentos podem atender a uma ampla variedade de objetivos, considerando suas circunstâncias individuais. Crises econômicas, inflação, variações cambiais, desempenho desfavorável em setores econômicos e diversos outros motivos que justificam a busca por aplicações financeiras protetivas.

Importância da proteção patrimonial

Todos os perfis de investidor devem permanecer atentos às estratégias de proteção patrimonial. Do contrário, podem se expor a riscos desnecessários e ter dificuldades em contextos emergenciais.

Evitar os efeitos negativos da economia

Os ativos de proteção patrimonial representam soluções para que os investidores possam enfrentar momentos difíceis na economia local. Mesmo ao investir em empresas saudáveis e lucrativas, é crucial gerenciar os riscos decorrentes de condições econômicas adversas que os países podem impor.

Garantir recursos para uso pessoal e de familiares

Diversos produtos colaboram para assegurar recursos em momentos de dificuldades financeiras. Um exemplo é a reserva de emergência, que consiste em aplicações facilmente convertíveis em dinheiro para lidar com imprevistos.

Facilitar a Sucessão Patrimonial

Outra possibilidade é simplificar o processo de destinar recursos aos herdeiros. Esses instrumentos podem ser utilizados tanto em vida quanto como parte do planejamento sucessório em decorrência do falecimento do titular dos recursos.

Administrar o patrimônio com eficiência

Os mecanismos de proteção também podem simplificar a administração do patrimônio. Dois exemplos incluem criar uma empresa para gerir múltiplos imóveis e a utilização de um fundo exclusivo com gestão profissional.

Riscos de não proteger seu patrimônio

As pessoas que não adotam soluções de proteção podem estar sujeitas a condições desfavoráveis e incerteza. Diversos riscos podem ser mitigados por meio de instrumentos adequados, como investimentos e gestão patrimonial.

Riscos Políticos

As decisões dos governantes e a introdução de novas leis têm o potencial de impactar o patrimônio. Por exemplo, uma nova legislação pode favorecer um setor da economia em detrimento de outras áreas de negócios.

Riscos Econômicos

Os indicadores econômicos podem se tornar desfavoráveis às aplicações atuais do patrimônio. Variações na inflação, taxas de juros e no Produto Interno Bruto (PIB) podem comprometer os resultados financeiros.

Riscos Jurídicos

Muitas pessoas estão expostas a riscos de processos judiciais, especialmente empreendedores, empresários e profissionais liberais. Podem enfrentar desafios relacionados a dívidas trabalhistas, tributárias e até indenizações em suas atividades.

Os mecanismos jurídicos para evitar que o patrimônio seja usado para pagar obrigações costumam receber o nome de blindagem patrimonial.

Riscos de Liquidez

A falta de consideração à proteção patrimonial pode resultar em dificuldades para transformar ativos em dinheiro. Isso ocorre quando medidas essenciais, como diversificação e reserva de emergência, são desconsideradas, concentrando recursos em ativos com baixa liquidez.

Esses riscos são apenas alguns exemplos do que pode acontecer quando não se dá a devida atenção à proteção patrimonial.

Para compreender os principais desafios da economia que podem afetar seu patrimônio, assista ao conteúdo completo do Canal da Nord Investimentos.

Como proteger seu patrimônio com investimentos?

Uma das maneiras de proteger o patrimônio é realizando investimento em moedas que sofram menos com inflação em relação ao real brasileiro

Os investimentos desempenham um papel crucial na proteção do patrimônio contra diversos riscos. Para alcançar essa proteção, é fundamental compreender o cenário e selecionar a estratégia mais adequada de acordo com o seu perfil e necessidades.

Reserva de emergência

reserva de emergência consiste em um conjunto de aplicações financeiras prontamente convertíveis em dinheiro. Seu objetivo é fazer frente às despesas pessoais e familiares diante de imprevistos.

O valor recomendado para adotar esse mecanismo varia entre 3 a 6 meses dos gastos mensais. Em muitos casos, os investidores iniciam gradualmente, poupando ao longo do ano.

Exemplos de ativos para reserva de emergência:

  • Tesouro Selic D+1;
  • CDB’s D+0;
  • Fundo Selic Simples D+0
  • LCI/LCA - liquidação após 90 dias

escolha de ativos deve considerar a facilidade de obter o dinheiro. Recomenda-se buscar investimentos com liquidez diária ou em poucos dias, garantindo que os recursos estejam disponíveis rapidamente em emergências.

Um benefício significativo é se prevenir contra empréstimos de curto prazo. Instrumentos como o cheque especial e o crédito rotativo do cartão podem resultar em despesas elevadas com juros, sendo evitados quando se possui uma reserva financeira.

Além disso, a reserva de emergência cria condições mais favoráveis para buscar títulos com prazos mais longos. Com recursos guardados, não haverá o receio de fazer resgates antecipados e sofrer prejuízos para liquidação dos ativos.

Previdência Privada

A previdência privada ganha ainda mais relevância em contextos de envelhecimento populacional e possível colapso da previdência social

previdência privada representa um mecanismo de proteção patrimonial voltado para assegurar o futuro financeiro. Ao investir nesse instrumento, é possível reduzir o impacto do imposto de renda nas despesas.

Além disso, a previdência privada oferece a garantia de que sua família terá acesso rápido a recursos em caso de falecimento. Isso porque, nessas situações, funciona de maneira semelhante a um seguro de vida.

Os planos previdenciários podem ser classificados como PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) ou VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

Plano garantidor de benefício Livre (PGBL)

O PGBL requer que o indivíduo contribua para a previdência pública, seja nos regimes de servidor público ou INSS. A vantagem significativa é a possibilidade de dedução do imposto de renda, com um limite de 12%.

Em resumo, o valor que normalmente seria destinado à tributação permanece investido, rendendo frutos no longo prazo. No momento do resgate, é necessário pagar o tributo sobre o montante total (aplicação e juros). Contudo, o tempo e os juros compostos geralmente compensam a cobrança extra.

Vida Garantidor de Benefício Livre (VGBL)

O VGBL não oferece dedução do imposto de renda. A vantagem é não exigir contribuição para o INSS nem para previdência de servidor público.

Outra característica é o pagamento do imposto de renda apenas sobre o lucro da aplicação. Por isso, esse plano costuma ser adotado pelas pessoas que desejam aplicar valores acima dos 12% de dedução do PGBL.

Ambos os planos geram direito de resgate pelo beneficiário em caso de falecimento, sem passar por inventário. Também só pagam imposto de renda ao final, evitando o efeito come-cotas. Por fim, podem utilizar a tabela regressiva ou progressiva do imposto de renda, conforme a estratégia do investidor.

Contratação de seguros

O seguro é um instrumento de transferência de riscos patrimoniais para terceiros. Ao concordar com pagamentos recorrentes, uma seguradora assume o compromisso de indenizar prejuízos decorrentes de eventos previstos em contrato.

Essa cobertura pode ser contratada para diversas situações prejudiciais:

  • falecimento;
  • invalidez;
  • furtos e roubos de veículos;
  • danos em imóveis;
  • perda da fonte renda principal;
  • acidentes pessoais.

O valor destinado à seguradora é denominado prêmio, enquanto o evento que desencadeia o prejuízo é conhecido como sinistro. Por exemplo, em caso de roubo de carro, se a pessoa tiver um seguro, o segurado terá o direito de receber uma indenização, respeitando o limite estipulado no compromisso entre as partes.

Diversificação da carteira de investimentos

A diversificação é um mecanismo de proteção patrimonial que visa gerenciar os riscos dos investimentos. Essa estratégia envolve a composição da carteira com ativos que apresentam pouca ou nenhuma correlação de riscos entre si.

Evitar a concentração dos recursos em um único segmento gerencia os fatores que podem prejudicar o desempenho da carteira. Por exemplo, um fundo imobiliário que investe em salas comerciais para locação pode sofrer com um período de baixa demanda no setor. Porém, essa variável terá pouco impacto nos títulos da dívida pública.

A lógica que embasa a estratégia é a distribuição dos recursos. Se os riscos de um setor se materializarem e causarem desvalorização dos ativos, a carteira como um todo não será comprometida.

Hedge

As estratégias de hedge envolvem a seleção de ativos com correlação inversa. Isso ocorre porque o fator de risco que desvaloriza um ativo gera simultaneamente a valorização de outro.

Um exemplo simples é a criação de uma proporção adequada entre dólares e reais. Por meio de um cálculo de hedge cambial, a ascensão das cotações de uma moeda corresponde, proporcionalmente, à queda da outra, mantendo o valor geral estável.

Outro ativo frequentemente utilizado para hedge é o ouro. Em cenários de inflação alta, risco político e crise econômica, mais pessoas tendem a buscar o metal precioso, elevando as cotações dessa mercadoria básica da economia.

Investimento no exterior

Os investimentos no exterior desempenham um papel crucial na proteção do patrimônio contra os riscos específicos do país. Além disso, podem servir como uma eficaz ferramenta de hedge, particularmente em relação aos riscos de câmbio e inflação associados à moeda brasileira.

Principais investimentos no exterior:

  • stocks — nome dado às ações nas bolsas estrangeiras;
  • bonds — títulos de renda fixa que garantem juros;
  • real state — investimentos no mercado imobiliário;
  • treasures — títulos da dívida pública dos EUA;
  • ETFs — fundos criados para refletir o desempenho de índices.

O investimento no exterior pode ser realizado por meio da abertura de contas em corretoras estrangeiras. Nessa modalidade, os investidores obtêm acesso aos produtos da instituição financeira, assim como às bolsas de valores internacionais.

Alternativamente, há opções de investimento no Brasil em ativos estrangeiros, como as BDRs, que são recibos que refletem o desempenho de ações no exterior. Outra possibilidade são os fundos de investimento que realizam aplicações fora do país.

Fundos exclusivos

Os fundos exclusivos são criados para permitir que um único cotista desenvolva sua estratégia, podendo ser abertos ou restritos a novos investidores. Assim como outros fundos, esse ativo é registrado junto à CVM para operar legalmente no Brasil, e seu patrimônio é separado do patrimônio pessoal.

Uma característica distintiva é a facilidade na sucessão patrimonial. Caso haja o desejo de transferir os recursos para um familiar, basta realizar a doação das cotas, reduzindo burocracias.

Outra vantagem é a possibilidade de contar com um gestor profissional encarregado do patrimônio. Essa opção se apresenta como uma solução para quem não tem conhecimento ou tempo para acompanhar a carteira de investimentos.

Holding patrimonial

A holding patrimonial é uma empresa criada com o propósito de gerir o patrimônio. É uma prática bastante utilizada no setor imobiliário, em que os bens são transferidos para a pessoa jurídica, e os familiares mantêm cotas da organização.

Essa operação visa reduzir os riscos de os bens serem utilizados para quitar dívidas adquiridas como pessoa física. Além disso, pode ser vantajosa devido à possibilidade de pagar menos tributos, especialmente em relação ao imposto de renda.

Similar ao fundo exclusivo, a holding patrimonial é uma ferramenta que facilita a sucessão patrimonial. Afinal, basta transferir a participação na holding para que os herdeiros tenham acesso aos bens.

Receba conteúdos e recomendações de investimento gratuitamente

Obrigado pelo seu cadastro!

Acompanhe nossos conteúdos por e-mail para ficar por dentro das novidades.

Conheça o Nord Wealth

Os produtos destinados à proteção patrimonial apresentam uma ampla diversidade. Cada investidor deve procurar as soluções mais adequadas aos seus objetivos e situação financeira.

Entendemos que nem sempre é simples tomar essa decisão e conhecer todas as opções para desenvolver uma estratégia eficiente. Por essa razão, com o compromisso de atender aos clientes da mesma forma que gostaríamos de ser atendidos, apresentamos a Nord Wealth.

Nord Wealth oferece atendimento personalizado, com o objetivo de criar uma estratégia de proteção patrimonial adequada ao seu perfil e particularidades. Contamos com profissionais certificados, prontos para ouvir, a fim de elaborar um planejamento único, alinhado às suas necessidades e expectativas.

Diferenciais da Nord Wealth:

  • investimento personalizado e acompanhamento constante;
  • profissionais certificados e especializados;
  • atendimento próximo e altamente dedicado;
  • carteiras adaptadas a cada cliente;
  • transparência e ausência de conflitos de interesse.

Sendo assim, você receberá apoio para desenvolver uma estratégia de proteção patrimonial, assegurando o seu futuro e o de seus familiares. Todo o acompanhamento e aconselhamento sobre a carteira serão conduzidos por profissionais capacitados e independentes. O que permite que você tenha acesso às melhores soluções.

Conheça as soluções de gestão patrimonial da Nord Wealth e conte com uma estratégia adaptada às suas expectativas e necessidades!

Resumindo

O que é proteção patrimonial?

Proteção patrimonial é o conjunto de medidas para prevenir riscos aos direitos e bens das pessoas e seus familiares. Essa estratégia pode usar mecanismos jurídicos e aplicações financeiras.

Como fazer proteção patrimonial?

Diversos mecanismos podem ser usados para proteção patrimonial, como:

  • seguros;
  • reserva de emergência;
  • holding;
  • diversificação;
  • investimentos no exterior;
  • hedge;
  • fundos exclusivos.

O que é blindagem patrimonial?

A blindagem patrimonial é um termo mais comum no setor jurídico, indicando as medidas de proteção do patrimônio contra responsabilização por obrigações. Por exemplo, uma holding patrimonial pode evitar, se respeitadas as condições legais, que imóveis sejam usados para pagar dívidas.

Compartilhar