Privatização da Sabesp é aprovada na Alesp por 62 votos a 1

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou o projeto do governo de Tarcísio de Freitas para privatizar a Sabesp

Guilherme Tiglia Alves 07/12/2023 14:58 3 min Atualizado em: 04/01/2024 11:36
Privatização da Sabesp é aprovada na Alesp por 62 votos a 1

O projeto que prevê a privatização da Sabesp (SBSP3) foi aprovado na noite de quarta-feira, 6, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

A vitória foi de lavada: 62 votos favoráveis e um contrário. Era necessário maioria simples, ou seja, 48 votos, para que o projeto fosse aprovado.

O que vai mudar para a população com a privatização da Sabesp?

A expectativa do governo é que com a desestatização da Sabesp o estado atinja a universalização em água e esgotos ao longo dos próximos anos, aumentando portanto o número de consumidores a serem atendidos, tornando a empresa mais eficiente e rentável. 

A proposta sugerida prevê que os investimentos aumentem de R$ 56 bilhões para R$ 66 bilhões.

Privatização da Sabesp: o que vai mudar para o acionista?

Basicamente, ocorrerá uma diluição da participação do governo na base acionária, de forma a não ser mais o controlador da companhia. Hoje, São Paulo detém 50,3% do capital da empresa.

Na nova estrutura, o Governo do Estado de São Paulo seguirá como acionista da companhia, devendo chegar próximo a uma fatia de 30%.

O modelo de capitalização deve ser muito próximo com o que foi feito na época com a gigante do setor de Utilities Eletrobras (ELET3), no qual existe uma regra limite de votos de 10% para cada acionista (chamado “Poison Pill”), o que na prática torna a SABESP uma empresa sem um controlador definido.

Próximos passos para a privatização da Sabesp

O governador conversará com os representantes de todos os municípios atendidos pela companhia para a renovação do contrato de concessão até o ano de 2060. Vale destacar que o município mais relevante dentre os atendidos é a capital do estado de São Paulo, a cidade de São Paulo, que representa 44% do faturamento da empresa.

Assim sendo, cabe aos municípios paulistas decidirem se aceitam vender a concessão do saneamento básico para a Sabesp, ou então se eventualmente criam empresas municipais para o atendimento do serviço. O tema será debatido.

Receba conteúdos e recomendações de investimento gratuitamente

Obrigado pelo seu cadastro!

Acompanhe nossos conteúdos por e-mail para ficar por dentro das novidades.

Vale a pena investir na Sabesp (SBSP3)? 

Conforme mencionado, a privatização da Sabesp permitirá diversas vantagens, entre elas, aumento de investimentos, otimização de processos, redução de custos e melhor alocação dos recursos, de forma a agregar rentabilidade. 

Negociando a apenas 6 vezes EBITDA para 2024, nos parece interessante considerando o avanço no andamento da privatização, mas seguiremos atentos a toda nova movimentação do processo.

Por uma questão de elegibilidade, a empresa não vem apresentando Dividend Yield suficiente para o mandato do Nord Dividendos, considerando tanto o que vem sendo apresentado quanto as perspectivas para os próximos anos.

Tópicos Relacionados

Compartilhar