PRIO3 continua valendo a pena em 2024?

Prio compartilha os planos da companhia para 2024; reiteramos compra para PRIO3

Rafael Ragazi 08/12/2023 13:46 3 min Atualizado em: 04/01/2024 11:41
PRIO3 continua valendo a pena em 2024?

O encontro anual da PRIO (PRIO3) com analistas de mercado, o PRIO Day, destacou os resultados de 2023 e temas relacionados às operações da companhia.

Operação e comercial

Sobre Wahoo, o barco que vai fazer o lançamento das linhas rígidas do tieback com o FPSO de Frade chega entre 15/abr e 15/mai, a expectativa é de 120 dias nessa operação. Obs.: o barco está livre até setembro, protegendo a PRIO de um eventual atraso na licença do Ibama. 

Já as perfurações, devem começar em janeiro, e cada poço levará cerca de 70 dias, dessa forma, a expectativa da PRIO é de começar a produzir em Wahoo em julho~agosto com 3 dos 4 poços já operando.

A companhia também destacou que a produção de Frade tem surpreendido positivamente; em 2022, a produção superou em 16,5% as expectativas e em 2023 em 13%. A companhia está estudando 5 prospectos que podem receber novos poços quando ela voltar a trabalhar na revitalização do campo.

Em Albacora Leste, a empresa ressaltou as dificuldades maiores do que as previstas no início da operação devido às péssimas condições do ativo. 

A eficiência operacional (produção/produção potencial) esperada para 2023 era de 86%, mas o acumulado do ano até o momento é de 73%, o objetivo é chegar a 90% em 24~25. O grande problema é que o FPSO não pode descarregar a água no oceano, pois ela não se encaixa nas especificações regulatórias, isso levará um tempo para ser endereçado.

Adicionalmente, a região de Arapuça, que faz fronteira com o consórcio de Roncador, deverá entrar em produção no ano que vem e será conectada ao FPSO de Albacora Leste. 

O volume total de óleo para a PRIO é de 100 milhões de barris; ela não será a operadora, mas receberá sua parte do óleo, assim como uma taxa pela utilização do FPSO.

Receba conteúdos e recomendações de investimento gratuitamente

Obrigado pelo seu cadastro!

Acompanhe nossos conteúdos por e-mail para ficar por dentro das novidades.

Prio Trading

A companhia também destacou que entrou na atividade de trading neste ano (vender direto para as refinarias), o que traz mais autonomia, liquidez e flexibilidade para as vendas, adicionalmente, os descontos também estão sendo reduzidos.

Pronta para continuar crescendo

Quando questionada sobre qual é a visão da empresa para o longo prazo, a companhia disse que não tem o objetivo de se tornar uma major, mas que quer ser a empresa de maior retorno do setor, podendo chegar ao patamar de 300~500 mil barris de óleo produzidos por dia (99 mil atualmente), desde que continue achando investimentos que entreguem uma taxa de retorno de pelo menos 20% a.a. em dólar.

Adicionalmente, a PRIO disse, pela primeira vez, que está estudando operações fora do Brasil, citando o Golfo do México como um exemplo. 

Prio vai distribuir dividendos?

Atualmente, Prio não distribui dividendos, mas informou este ano que até pode distribuir dividendos ou fazer recompras de ações, mas isso significará que ela fracassou no objetivo de encontrar boas oportunidades de investimento. Crescer continua sendo o principal foco da companhia.

Por fim, vale destacar que 90% dos colaboradores da empresa são acionistas da PRIO, o que reforça a cultura de dono e foco no desempenho da companhia.

PRIO3 ainda vale a pena?

Negociando a apenas 6x Ebitda, com mais 40 mil barris para entrar em produção no ano que vem (Wahoo) e uma perspectiva de continuar fazendo aquisições e expandindo a companhia, PRIO3 segue como uma das principais oportunidades da Bolsa.

Compartilhar