O que aprendi com Charlie Munger

O que fez a vida de Munger tão especial como pessoa e investidor

Henrique Vasconcellos 02/12/2023 08:00 7 min Atualizado em: 04/01/2024 11:35
O que aprendi com Charlie Munger

Sabedoria mundana

Na terça-feira, 28 de novembro de 2023, a Berkshire Hathaway anunciou, após o fechamento do mercado, a morte de Charles Thomas Munger, também conhecido como Charlie Munger.

Charlie era o vice-presidente da Berkshire Hathaway, empresa controlada por Warren Buffett. Os lendários investidores se conheceram no começo de suas carreiras. Munger tinha 35 anos, enquanto Buffett tinha apenas 29 anos. 

Desde que se conheceram, sempre foram muito próximos, eram bons amigos. Através dessa amizade, ambos se desenvolveram e evoluíram intelectualmente — fazendo com que, separadamente, se tornassem investidores melhores. Eles juntaram forças oficialmente apenas em 1978, quando Munger entrou na Berkshire. 

Desempenho da Berkshire versus S&P desde 1978.
  Fonte: Bloomberg

Caso você tivesse investido US$ 100 nas ações da Berkshire em 1978, quando Munger se juntou à empresa, você teria aproximadamente US$ 400.000 hoje, enquanto investindo o mesmo no S&P, você teria US$ 16.527

A performance surreal que a Berkshire teve ao longo dos anos não é uma surpresa ou uma novidade. Já comentamos sobre isso inúmeras vezes em edições anteriores

Mas o mais interessante sobre Charlie são os ensinamentos sobre investimentos e sua forma de enxergar a vida. Não à toa, Buffett mudou sua forma de investir por conta da influência dele

Tweet de Chris Franco diz “a melhor lição do Buffett é ouvir o Charlie Munger”.
 Fonte: Twitter

E, como diz nosso amigo acima: a melhor lição do Buffett é ouvir o Charlie Munger

Em seus grandes debates de investimentos, sempre foi notória a diferença entre Buffett e Munger. Buffett nasceu, foi criado e se desenvolveu para ser uma mente pensante no que diz respeito a investimentos. 

Em entrevistas, cartas ou mesmo comentários corriqueiros, vemos que a grande preocupação do Buffett é nichada no que diz respeito à alocação de capital e aos riscos por trás de seus investimentos

De forma alguma isso é um demérito. Afinal, em termos de retorno e patrimônio, ele fica à frente de Charlie; entretanto, no meu modo de ver, há muito mais na vida. Nesse aspecto, o Munger se sobressai. 

Além de um grande investidor, Munger sempre teve um lado mais “filosófico” que seu sócio. Perguntas sobre o nosso universo, amplo interesse no desenvolvimento e crescimento da China e uma busca por conhecimento além dos investimentos. Características de suas falas em público. 

Em 1994, Munger foi o palestrante de formatura na USC, onde deu um discurso intitulado “A Lesson on Elementary Worldly Wisdom” (Uma Lição Elementar sobre Sabedoria Mundana). Esse discurso destrincha mapas mentais que ele julga ser necessários para que qualquer pessoa seja bem-sucedida, tanto em investimentos quanto na vida

“Para um homem que possui apenas um martelo, todo problema se parece com um prego” — Charlie Munger.

Não adianta nada uma pessoa ter o melhor martelo se o único problema que ele resolve são pregos. É necessário ter um amplo conhecimento geral do mundo para ser bem-sucedido e conseguir se sobressair na vida. 

Nesse famoso discurso, Munger elenca diversas áreas de conhecimento que juntas podem te tornar um investidor melhor

Como investir como Charlie Munger

Na visão dele, um bom investidor precisa ter uma coleção de modelos mentais capazes de lidar com diferentes cenários e situações. Não é necessário ser um gênio. Muito pelo contrário, a genialidade pode acabar te atrapalhando. 

“Não seja estúpido. Evitar a estupidez é muito melhor do que tentar ser genial.” — Charlie Munger.  

Obviamente, é necessário um conhecimento em algumas áreas para investir bem, mas nada que envolva engenharia aeroespacial. É preciso conhecimento em matemática, mas nada muito além do que se tem após o ensino médio. 

Entender como os juros compostos funcionam é fundamental. Mesmo Einstein já destacou a importância desse conceito. Estatística e probabilidade, mesmo que básicas, também são necessárias. Assim, você será capaz de construir modelos para solucionar problemas e tomadas de decisões. 

Também é fundamental ter conhecimento sobre contabilidade, afinal é a língua utilizada no mundo dos negócios. De forma resumida, um balanço de uma empresa vai te mostrar os ativos (o que a empresa possui), os passivos (o que a empresa deve) e o patrimônio (quanto foi investido na empresa). 

Analisando o balanço junto à demonstração de resultados, é possível ter uma boa noção de como a empresa funciona e de como ela vem performando. 

Entre diversas outras áreas de conhecimento que ele mesmo elenca no discurso e ao longo de outros textos, temos a psicologia — que, como sabem, tem tudo a ver com investir em ações. Também destaca economia, engenharia e física

No geral, Munger sempre defendeu a busca por conhecimento de forma generalista, mas sem ignorar a vantagem que um especialista em um nicho de mercado pode ter na carreira. 

O mais importante é entender os negócios da empresa e as razões pelos sucessos e pelos fracassos.

Costco: um completo vício

Existem inúmeras empresas no mundo que fazem as mesmas coisas, mas conseguem ter resultados completamente diferentes. Isso passa tanto pelas pessoas que estão dentro dos negócios quanto pelos processos dentro da empresa, e é algo muito difícil de quantificar. 

Em 1997, Charlie comprou as ações da Costco, um dos grandes debates entre ele e Buffett. Afinal, Buffett não gosta de varejistas. Acredita que eventualmente todas acabam sendo substituídas por novos competidores. 

Mas Munger acreditava muito na empresa. Não só acreditava, como também se comprovou um excelente investimento. De 1997, quando comprou ações da empresa, até a data de seu falecimento, as ações subiram mais de +7000% contra a Berkshire em +1500% e o S&P +500%.

Desempenho da Costco versus Berkshire versus S&P desde 1997.
 Fonte: Bloomberg

Do ponto de vista do Munger, além de a empresa, na época, ter as finanças em dia (bons resultados), perspectivas de crescimento com novas lojas e expansão geográfica pelos EUA, a Costco tem uma vantagem competitiva muito superior aos seus concorrentes no que diz respeito à reputação. 

A rede de atacarejo é famosa por ter preços atrativos para os clientes. Isso é fato. Desde 1984, a Costco oferece em suas lojas um combo de Hot Dog + Refrigerante a US$ 1,50. O preço, mesmo com a inflação ao longo do tempo, não mudou até hoje. 

Diante dessa reputação, o consumidor acredita que ele encontrará produtos que precisa, com preços bons, indo ao Costco para fazer compras. Essa reputação é difícil de replicar junto à fama de ter qualidade. A Amazon, por exemplo, por mais que seja uma empresa incrível, não se sobressai pelos preços, mas sim pela logística. 

Munger se considerava um viciado em Costco. Em 2011, na conferência anual de acionistas da Berkshire Hathaway, Buffett fez uma analogia para ilustrar o quanto Munger era apaixonado pela empresa. 

Disse que se ambos estivessem em um avião que fosse sequestrado, onde seriam executados, mas com a chance de um último desejo, o desejo de Charlie seria poder dar mais uma vez o seu discurso sobre as virtudes da Costco — com ilustrações. Já o desejo de Buffett seria ser executado antes do discurso. 

Receba conteúdos e recomendações de investimento gratuitamente

Obrigado pelo seu cadastro!

Acompanhe nossos conteúdos por e-mail para ficar por dentro das novidades.

Mesmo havendo discordâncias sobre a Costco e sua finalidade como varejista, a Berkshire comprou as ações no começo dos anos 2000. Entre compras e vendas, a Berkshire apenas se desfez da sua posição na Costco em 2020, vendendo suas 4,3 milhões de ações. Munger nunca vendeu. 

A Costco é só um dos vários exemplos de empresa que Munger gostava e que acabou fazendo com que Buffett gostasse também. 

Os modelos mentais que Buffett seguia no começo de sua carreira, muito inspirados nos ensinamentos de David Dodd e Ben Graham, foram evoluindo cada vez mais para modelos semelhantes aos de Munger. 

Uma vez um investidor que comprava as famosas “bitucas de cigarros” do mercado, Buffett foi se transformando cada vez mais em um investidor focado em empresas de qualidade. O modelo de negócio, as vantagens competitivas e a visibilidade de resultados sobrepuseram as pechinchas e teses de recuperação

Como o próprio Munger coloca:

Citação de Munger.
Fonte: Wonderful Quote

Em português, “um grande negócio a um preço razoável é superior a um negócio razoável por um ótimo preço”.   

Juntos, ambos cresceram, aprenderam e fizeram sucesso. A morte, aos 99 anos, dificilmente pode ser considerada uma surpresa. Parte do ciclo. 

Agora, desfrutemos do tempo que ainda temos com Buffett presente. Aos 92 anos, eventualmente ele se juntará a seu grande sócio, mentor e amigo. 

Obrigado, Charlie.

Tópicos Relacionados

Compartilhar